Covid-19: como enfrentá-lo e qual a rotina de países atingidos

O combate ao Sars-Cov-2, coronavírus responsável pela pandemia declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), vem sendo atualmente a principal preocupação dos brasileiros.

Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todas e todos, em todas as idades é o que visa o ODS 3.

Sete óbitos no Brasil, 152 nos EUA, 3.405 na Itália e mais de 9 mil no mundo, além de 191.127 casos confirmados, segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS). Esses são os estarrecedores números atualizados da pandemia de Covid-19 que está atingindo o planeta. Os sintomas são nariz escorrendo, dor de garganta, tosse, febre e dificuldade em respirar nos casos mais graves. Até o momento, não há tratamento específico. A implementação de terapias de apoio para os pacientes graves, como oxigênio, hidratação e alívio da febre e da dor, são as principais medidas que vem sendo tomadas, além de uma forte campanha de prevenção.

As recomendações de prevenção da Organização Mundial de Saúde (OMS) são: lavar as mãos com água e sabão ou higienizador à base de álcool; manter distância de pessoas que estejam tossindo ou espirrando; evitar tocar nos olhos, nariz e boca; cobrir a boca e o nariz com a parte interna do cotovelo ou lenço quando tossir ou espirrar; ficar em casa se não se sentir bem; evitar viajar para as áreas afetadas e se manter em isolamento por 14 dias caso retorne de viagem. Se a pessoa tiver febre, tosse e dificuldade de respirar, deve procurar atendimento médico assim que possível e compartilhar o histórico de viagens com o profissional de saúde.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU número 3 diz que devemos “Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades”. Este vem sendo, mais do que nunca, o principal objetivo da maioria dos países, incluindo o Brasil que, comparado a outros lugares, está na fase inicial da epidemia, com cerca de 300 casos confirmados. Por isso, a rotina de muitos brasileiros vem sendo mudada drasticamente, especialmente devido aos cuidados de prevenção e ao isolamento para evitar a disseminação da doença.

A região Europeia, com 74.760 casos e 3.352 mortes, já vêm enfrentando o problema há mais tempo. Por isso, conversamos com Duanny Cunha, 29 anos, mãe de uma menina de 5 anos e bacharel em direito que mora na freguesia de Celeirós, distrito de Braga, em Portugal, para saber como está sendo sua rotina e como ela e a família estão se adaptando a essa nova realidade imposta pela pandemia.

“A quarentena iniciou na segunda [16/03], mas, como foi decretado estado de emergência, é como se tivesse começado hoje [19/03]. Na rua você quase não vê gente. No centro, mesmo de Braga, há pouquíssimas pessoas. Eu e minha filha estamos em casa isolada. A escola dela está sem aula desde segunda, e meu trabalho também parou na segunda. Meu marido trabalha em escritório e quando sai é para instalar ar-condicionado nas casas. Porém, ontem o país entrou em estado de emergência, então agora ele tem que sair com uma declaração informando que está em serviço da empresa. Como ele já está na rua, só quem sai pra comprar comida é ele. Nós estamos só em casa mesmo, lavando as mãos toda hora, passo o pano todo instante com água morna e vinagre”, relatou Duanny Cunha, sobre a sua rotina na cidade.

Ela diz que os supermercados e farmácias estão abertos, mas a quantidade de pessoas que entra é limitada: “Nos supermercados estão limitando a quantidade de alimentos que cada cliente pode levar. Faz-se uma fila fora do supermercado e os seguranças deixam entrar, conforme os clientes que estão dentro, saem. Há o abastecimento de produtos nas prateleiras, porém estamos com dificuldade de encontrar proteína, carne fresca, peito de frango. Então estamos optando por atum enlatado, grão-de-bico, essas coisas.”

Por fim, Duanny relata seu desconforto quanto ao isolamento: “Eu estou [em quarentena] desde sexta feira [13/03], pois estava bem doente. Na quinta eu estava no hospital, com tosse e sem ar, então eles me isolaram lá, as pessoas olhavam como se eu fosse o próprio vírus. Horrível. Então, eu não saio nem na porta desde sexta”, lamentou ela.

Serviço

Últimas notícias e dados atualizados sobre o novo coronavírus COVID-19:

Organização Pan-Americana da Saúde/OMS: paho.org/bra/covid19

Organização Mundial da Saúde (OMS): who.int/coronavirus

Nações Unidas: un.org/coronavirus

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: